sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

1968 em Debate no Recife

No sábado 13 de dezembro, no Teatro Apolo, R. do Apolo 103, Recife, das 15 às 18 horas, promoção do Centro Josué de Castro, será realizada a mesa-redonda 1968 em Questão. Os palestrantes serão Denis Bernardes, Fred Katz, José Arlindo Soares e Marcelo Mário de Melo.

A idéia de realizar o debate nasceu na reunião de 2008 de antigos presos políticos, exilados e militantes de esquerda de Pernambuco, residentes em diversos estados do País e vinculados a diversas tendências políticas, que há cinco anos realizam um almoço de confraternização no Recife, no dia de quarta-feira de cinzas. O Centro Josué de Castro se integrou e assumiu oficialmente o evento.

No dia 13 de dezembro, há 40 anos, o Governo Militar decretava o Ato Institucional número 5, que marcou os anos de chumbo da repressão sobre os movimentos sociais que se insurgiam contra a Ditadura. Entre perdas e ganhos, os movimentos sociais foram definindo seus objetivos e suas bandeiras de luta, algumas das quais congregaram amplas parcelas da sociedade brasileira e resultaram em conquistas importantes, como foram as lutas pelas Eleições Diretas e pela Anistia. 1968 foi também um ano paradigmático na história de vários países que deflagraram lutas libertárias e por mudanças culturais.
QUEM O FARÁ?
Marcelo Mário de Melo
Purgar os erros.
Lembrar os mortos.
Fecundar os sonnhos.
Festejar as vitórias.
Se não fizermos isto
pela nossa causa
quem o fará?

4 comentários:

samuca santos disse...

marcelo, como sempre, na veia!
escuta: te inclui numa brincadeira bem interessante. você não é obrigado a participar.
as regras estão lá no blog:
samucablogsantos.blogspot.com
abçs

Eurico disse...

Marcelo, vi te deixar meu abraço fraterno e solidário. Sou amigo do artista-plástico Eugenio Paxelly, lembra? Ele foi teu vizinho na Leão Coroado, 20.
Saúde pra vc!

beth disse...

Marcelo,
O encontro que discutiu o ano 1968, resultou em alguma publicação?
Abraços
Beth

Antônio Filho disse...

Esse pessoal da esquerda é sadomasoquista mesmo. Vive eternamente lembrando com saudades da ditamole brasileira.Bando de hipócritas! Queriam implantar uma ditdura sanguinária no Brasil, foram beneficiados, muitos dos comunistas, pelos militares e o Brasil é essa porcaria de hoje por conta desses bandidos do passado.