sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Novas Profissões

Marcelo Mário de Melo

O desenvolvimento da economia e da politicagem coloca em extinção muitas categorias profissionais, recicla e cria uma série de outras. Para as extintas, um minuto de silêncio. Quanto às novas, destacamos algumas que nos parecem altamente expressivas, sintomáticas, emblemáticas e idiossincráticas.

Cientista político – Está autorizado a passar opinião por teoria e concorre com os jogadores de futebol na distribuição de chutes.

Consultor – Especializado em ouvir o cliente sobre o que ele sabe e concluir que não sabe de nada. Sempre elabora um diagnóstico do já conhecido e um requintado (e requentado) elenco de medidas óbvias.

Cenarista – Aquele que, consultando as obras de ficção científica, o horóscopo e o Livro de Nostradamus, sem esquecer os búzios, a leitura de mão e os dadinhos, desenha cenários otimistas, pessimistas e mistos, para todos os fins, sem nenhum compromisso com os resultados e segundo o perfil do contratante.

Cerimonialista – É o tradicional apresentador de evento, agora com denominação mais requintada devido à entrada de socialaites na área.

Parecerista – Precursor do Ghost Wrigte, é a mão oculta de chefes ou profissionais incompetentes ou preguiçosos.

Eventólogo – Cuida da organização de eventos, nada produz e gosta de ser chamado de produtor. Especialista na arte de juntar gente à base da política de circo sem pão.

Podólogo – Não tem nada a ver com poda de árvore e assemelhados. É o profissional que trata dos pés: calo seco, pé chato, joanete, unha encravada e chulé.

Esteticista – Segmento dos membros não aprovados nos testes para maquiador, que organizaram mercado e marketing próprios.

Promoter – Assemelhado ao eventólogo e vinculado a uma instituição. Geralmente, do sexo feminino.

Dsigner-gráfico – É o antigo desenhista industrial batizado com nome estrangeiro a partir da regulamentação profissional e depois de tirar do páreo os arquitetos que invadiam o pedaço.Considera-se ofendido ser for chamado de desenhista gráfico ou programador visual.

Acompanhante – Setor derivado da prostituição, podendo incluir a prestação de serviços sexuais ou, apenas, o acompanhamento puro e simples de figurões ou figuronas com necessidade de aparecer formando casal.

Depilador pubiano – Ramo derivado de uma mistura das técnicas de cabeleireiro, tatuador e massagista. Uma pesquisa em textos publicitários distribuídos mão-a-mão, revelou a existência de salões e salinhas com profissionais de ambos os sexos, especializados em modelos da mais ampla variedade: afro, peladinhos, semi-pelados, trancinhas, lavagens, permanentes, tinturas, alisamentos e encrespamentos, mechas, rinsagens, frisagens, grisalhagem, brilho, tonalização e desenhos feitos com raspagens.

Testa-de-ferro – Aquele que responde legal e frontalmente por negócios e mandos pertencentes a algum poderoso, a quem não é conveniente a presença ostensiva ou oficial nas demandas. Precursor do agente laranja.

Laranja – Agente especializado em operações financeiras.Integra a diretoria ou assume a titularidade de empresas-fantasma ou reais, com a finalidade de viabilizar negócios a serviço de interessados ocultos. Trata-se de uma derivação do testa-de-ferro.

Lobysta autônomo – Atua como espécie de “free lancer”na liberação de recursos ou na articulação de contatos junto a órgãos de governo.

Assessor – Antigamente, e segundo o Dicionário Aurélio, era alguém que prestava algum serviço especializado. Na modalidade pós-moderna, esta exigência foi relativizada, notadamente no setor público, podendo ser encontrados os assessores-acessórios, sem nenhum conhecimento específico, vulgarmente chamados de aspones - assessores de porra nenhuma.Nesta categoria, convém ressaltar no segmento um relevante esforço de criatividade no sentido de exercer ou demonstrar alguma utilidade.Muitos aspones se transformaram em verdadeiros agentes de acessibilidade e acompanhamento, desdobrando-se em abrir e fechar portas de sala e de carro, puxar conversas em ante-sala, cercar visitantes, sentar em mesa de reunião fazendo rabiscos, acessar o chefe e compor o seu contingente de acompanhantes em visitas, comilanças, homenagens e cerimônias de inauguração.

Candidato profissional – É o funcionário público que se candidata a algum cargo parlamentar com a finalidade de gozar da licença ou trabalhar como cabo eleitoral na campanha de um terceiro.

Segurador de pau – Especializado em segurar faixa, cartaz ou bandeira em ponto fixo, caminhada ou comício

Garrafa – É aquele filiado de partido político que tem a função de assegurar o quorum nas convenções oficiais, ocasião em que é rebocado e alimentado para marcar presença e votar segundo a receita. Comparado às garrafas vazias que se juntam para compor as grades de cerveja.

Ghost wryte – É o velho escriba de aluguel com novo nome. Guarda semelhança com o intérprete, o ventríloquo e o personagem-escada, exceto na condição de ser um agente rigosamente oculto. A discrição é o seu atributo essencial para repassar ao contratante a autoria dos seus textos e fidelizar a clientela.

Camorim – É o candidato a vereador com pequena quantidade de votos

Camorim ovado – É o candidato a vereador que se aproxima dos mil votos ou ultrapassa esse patamar, o que não é suficiente para ser eleito, mas ajuda a somar votos na legenda e eleger os candidatos preferenciais.

Pau-no-cu – É o militante que sempre atua em condições subnormais de apoio e retorno, mas continua carregando a sua bandeira – ou sua cruz.

Um comentário:

Bethânia disse...

do cacete as novas profissões - O Blog tá mt BOM.
pArabens - vou começar a párticipar, abra logo o espaço cara - tenho noticias de cinema e mts outras cosaaaassss.

AAbraços - Alcides Valença